Inspeção de segurança

Inspeção de cargas em fronteiras: como identificar objetos ilícitos?

/
19 0
inspeção de cargas em fronteiras

As fronteiras de um país são locais que devem ser fiscalizados continuamente, pois são pontos utilizados para cometer ilegalidades que afetam a segurança da nação, bem como sua arrecadação. As principais preocupações são com a entrada e saída de armas e drogas, produtos contrabandeados, animais silvestres e evasão de divisas, fazendo-se necessária a inspeção de cargas em fronteiras.

Várias formas podem ser utilizadas para detectar a entrada de objetos ilícitos no país, uma vez que o acesso não é apenas por meio da mata ou dos locais afastados. Por vezes são utilizados ônibus, aviões e carros particulares, além do acesso marítimo. Para tanto, é relevante escolher corretamente os equipamentos para a verificar as cargas.

O uso de novas tecnologias para a detecção de armas, drogas e outros objetos ilícitos é uma aposta para garantir mais produtividade e segurança na tomada de decisões. Quer conhecer maneiras de inspecionar as cargas em fronteiras? Acompanhe este artigo e fique por dentro do assunto!

Entenda a importância da identificação de objetos ilícitos nas fronteiras

No Brasil, as fronteiras exigem tratamento específico e constante, já que o país tem extensão continental, com linhas imensas tanto marítimas (8 mil quilômetros) quanto terrestres (15 mil quilômetros). O nosso país faz divisa com 10 das 12 nações que integram a América do Sul, sendo:

  • Suriname;
  • Guiana;
  • Venezuela;
  • Guiana Francesa (território pertencente à França);
  • Colômbia;
  • Peru;
  • Bolívia;
  • Paraguai;
  • Argentina;
  • Uruguai.

Com tamanha quantidade de interações no continente sul-americano, é notório que aumentar a segurança fronteiriça gera diversas consequências positivas para a manutenção da ordem, como a prevenção de passagem de cargas ilícitas e o auxílio no combate a organizações criminosas que se aproveitam de fragilidades nas fronteiras.

Ampliar a inspeção de cargas em fronteiras se torna cada dia mais necessário, tendo em vista a globalização do crime. O Brasil é uma das principais rotas para ações criminosas como o tráfico de drogas, de armas, entre outros. Um estudo elaborado pela United Nations Office on Drugs and Crime realizado no ano de 2010 constatou que a cocaína andina faz seu caminho pelas divisas brasileiras.

Percebe-se a gravidade da alta exposição de um país quando ele tem suas fronteiras descobertas, pois possibilita o amplo acesso ao crime. Além disso, muitas mercadorias ultrapassam as fronteiras sem quitar o tributo devido, reduzindo a arrecadação do país.

Os efeitos na redução do recolhimento tributário afetam diretamente a qualidade de vida dos cidadãos brasileiros, uma vez que atingem os investimentos que deveriam ser destinados a áreas como saúde, educação, segurança, transporte e demais obrigações estatais.

Saiba como essa detecção pode ser feita

Atualmente não há disponibilidade de pessoas necessárias para realizar a prevenção e a investigação de entrada de carga ilegal no país. Em contraponto, existem diversos auxiliares — desde tecnologias avançadas a cães farejadores que são treinados a partir do nascimento para farejar drogas e outros objetos ilícitos. Todos têm sua importância para identificar carga ilícita, auxiliando de forma eficaz o trabalho de quem investiga.

Com a escolha da técnica certa é possível evitar o tráfico de drogas e o contrabando de bens, contribuindo para a prestação do serviço de segurança nacional e até mesmo internacional — já que o que acontece nas fronteiras pode afetar mais de um país. Todavia, os sistemas eletrônicos muitas vezes não substituem os colaboradores que devem ser treinados para atuar juntamente à tecnologia.

Assim, se a inspeção realizada nas fronteiras puder contar com avanços tecnológicos e com a participação das pessoas capacitadas para utilizar a tecnologia, há uma redução de riscos e dos prejuízos patrimoniais. A junção dos dois mecanismos facilita a realização do trabalho de combate e a ampliação da segurança.

Conheça os equipamentos que podem ser utilizados

Diversos aparelhos são utilizados para realizar a fiscalização de cargas, com o fim detectar carregamentos ilícitos nas fronteiras. O detector de metais, muito comum nos aeroportos, é um bom exemplo. Ainda existem os raios x, scanners e outros, que auxiliam eficientemente os operadores da tecnologia na verificação de todo tipo de bagagem, desde uma pequena mala a um contêiner.

Os detectores de metais têm como função realizar a captação de objetos metálicos, como arma de fogo, lâminas e drogas embrulhadas em papel alumínio. Podem ser do tipo portal, pelo qual a pessoa passa e, se houver algum item de metal, luzes ou alarmes são acionados. A versão manual é acionada a partir do momento em que o agente de segurança aproxima o detector de algum objeto.

Por sua vez, os raios x são muito utilizados em locais com grande fluxo de pessoas, facilitando o monitoramento de cada item que entra em um estabelecimento. Com os raios x, as checagens das cargas e dos objetos podem ser mais rápidas e precisas. É possível averiguar o conteúdo de embalagens ou mesmo de contêineres por meio dessa tecnologia.

Existem ainda os scanners de carga, que operam por meio de raios x e aceleradores lineares. Eles podem ser utilizados para verificar pequenos objetos, assim como grandes volumes.

Além dos scanners tradicionais, atualmente a tecnologia do body scanner tem ganhado espaço. Trata-se de um equipamento de inspeção corporal, que por meio de baixas doses de raios x permite verificar o que a pessoa traz fora do corpo, nos bolsos e na roupa, e dentro do corpo. As imagens em alta definição permitem verificar se objetos ilícitos estão sendo transportados. Todavia, sua utilização somente é permitida em aeroportos internacionais ou em penitenciárias.

Investir no equipamento correto pode reduzir muito a quantidade de cargas adulteradas que entram no país. Isso amplia a segurança e a tranquilidade dos seus habitantes, permitindo que a arrecadação tributária seja feita de forma correta.

Tendo em vista a amplitude das divisas brasileiras e a quantidade de países que compartilham suas linhas, a inspeção de cargas em fronteiras é cada dia mais necessária. Tanto pessoas quanto tecnologias são essenciais para a busca de um país mais seguro, já que o que atravessa as linhas fronteiriças pode afetar direta e indiretamente a sua população.

Gostou do assunto e tem interesse em saber mais sobre segurança de fronteira e o tipo de tecnologia que pode ser aplicado? Entre em contato conosco e conheça a nossa gama de possibilidades!

Leave a Reply

Your email address will not be published.